Esses dias ouvi alguém dizer “Mas não existe igreja perfeita“. Discordo totalmente. Existe sim, a igreja de Jesus Cristo. Ela é é composta pelo Cristo e pessoas imperfeitas. E sim, ela é perfeita porque Cristo assim é. O erro está justamente em achar que nós fazemos a igreja e por isso ela é como nós somos. Não, ela é como Cristo é. Afinal, são nas nossas imperfeições que a perfeita misericórdia e graça de Deus se apresentam maravilhosamente. O amor incondicional de Deus e seu absoluto perdão, faz a sua igreja perfeita e bela, ainda que composta também por gente humanamente limitada, imperfeita e falha. A verdade é que o sangue de Jesus expiado na cruz, nos cobre e assim, nos faz perfeito como Cristo é.

Mas a participação da humanidade na igreja imaculável de Jesus, é um assunto que as pessoas confundem muito. Na prática, tenho observado que existe duas maneiras que normalmente as pessoas olham e vão em direção a igreja: “querer ser igreja” e “viver igreja“. Há quem diga que as duas coisas são a mesma coisa, mas não são. Inclusive, são duas forças opostas. De um lado o “querer ser igreja“, que tenta se comportar como entende que alguém que vai a igreja deve se comportar e do outro  o “viver igreja“, que simplesmente olha pra cruz de Jesus e se enxerga igreja, mesmo achando que talvez nunca se pareça como de uma.  A grande questão que tenho notado é que aquele que tenta “ser” normalmente deixa de “viver”, tanto quanto aquele que simplesmente “vive”, normalmente não se “parece”.

Nos últimos dias, três amigos diferentes me perguntaram a mesma coisa: – Tihh, você já teve vontade de chutar o balde? – Cada um deles tem seu contexto de vida e minha resposta para os três foi imediata e sincera: –Tenho essa vontade todos os dias –  e ainda completei: – e isso faz alguns anos – Há um tempo notei uma vontade imensa em mim de chutar as minhas “aparências de igreja”. E conforme vou amadurecendo isso, tenho me convencido que:

Quanto mais igreja eu desejo ser, menos de uma vou parecer ser.

Mas sendo realista e encarando os fatos, essa ideia de cristianismo simples gera perseguição do próprio cenário religioso, infelizmente. “Você não pode aceitar esse tipo de gente na tua igreja“, como certa vez me disseram. Me pergunto que tipo de gente pode ser pior do que eu, que se enxerga pecador e totalmente dependente de Deus. Honestamente, não consigo imaginar alguém pior. Bom, se o próprio Cristo foi mal visto pelos religiosos da época, não posso esperar por menos. Mas é como o próprio já disse, apesar de tudo, bem aventurado sou.

Minha oração é pra que todo cristão entenda que ele só é igreja porque entendeu que foi amado por Cristo e isso o constrange e o transforma. Ou pelo menos deveria. Ou talvez ele descubra só tem tentado parecer alguém que vai na igreja e está longe de viver igreja. De todo modo, a única diferença de alguém que conheceu o amor de Jesus pra outra pessoa, é que ele conheceu o amor de Jesus e a outra pessoa ainda não sabe que ele o ama. Cabe a ele, então, apresentá-la essa maravilhosa notícia. De preferência, falando pouco, se não, por muitas vezes, quase nada.

Vamos viver igreja, que de tão igreja, nem vamos parecer de uma.

Boa semana!


Também publicado em Medium.