Olha como é linda. Que alegria. Não pode ouvir música que já começa a dançar. Como imita! Como corre! Não pinta a parede! Oh a biba, pai! Nossa, que barriga linda, filha. Não, não pinta a biba de canetinha. Vamos dormir? Isso, o papai dá a mão pra você. Bom sono! PAPAI!! MAMÁ! Amo você, princesa. Hmmm. Quer biscoito? Hmmm, tá! O pai come um também. Hoje o papai vai dar banho em você. Não! Filha! Para de dar banho no papai! Quer mais tuto, pai! Ok, mais suco! PAPAI, MAMÁ! Calma, filha. Que amor! Alô? Quem é? Quero lólu, pai! Issso, papai pega você no colo. Que tal a gente ver desenho junto pra dormir? Não, filha. Para de dançar e vem dormir. Isso, da a mão. Ok, papai segura seu pé. Tá, as duas mãos e os dois pés.

É hoje! Como passou rápido! Parece que foi ontem. Tem certeza que já se passaram 2 anos? Não sei como antes consegui viver sem você. Que sorriso! Isso, vem dançar com o papai. Pra sempre dançarei contigo, meu amor. Linda! Princesa! Como pude um dia viver sem seu sorriso? Como antes conseguia sorrir? Quando você nasceu, papai nasceu junto com você. Pra sempre você terá o lolu do papai. Te amo.


* Nota do autor: Essa crônica eu escrevi em homenagem ao segundo aniversário da Alice, minha princesa-menor.