Apesar dessa ser uma expressão tão atual, o título tem como referência a “Operação Carne Fraca” da Polícia Federal somente o título. A verdade é que a expressão “carne fraca” é sim muito conhecida também no meio cristão. Esses dias, estava conversando com um cara e ele me disse:

 – Pois é, sabe como é: a bíblia diz que a carne é fraca!

Notei ali que a gente concordava com a afirmação porém olhávamos pra ela de maneiras diferentes. Então vamos pegar um gancho no assunto e falar um pouco sobre ele.

Pra começar, vamos falar de Jesus, um pouco antes de ser capturado para depois ser sacrificado. Ele tinha acabado de fazer a última ceia com seus discípulos e depois deles cantarem alguns louvores, saíram para o monte das oliveiras:

31 No caminho, Jesus disse: “Esta noite todos vocês me abandonarão, pois as Escrituras dizem: ‘Deus ferirá o pastor, e as ovelhas do rebanho serão dispersas’. 32 Mas, depois de ressuscitar, irei adiante de vocês à Galileia”. 33 Pedro declarou: “Pode ser que todos os outros o abandonem, mas eu jamais o abandonarei”. 34 Jesus respondeu: “Eu lhe digo a verdade: esta mesma noite, antes que o galo cante, você me negará três vezes”. 35 Pedro, no entanto, insistiu: “Mesmo que eu tenha de morrer ao seu lado, jamais o negarei!”. E todos os outros discípulos disseram o mesmo. 36 Então Jesus foi com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse: “Sentem-se aqui enquanto vou ali orar”. 37 Levou consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu e começou a ficar triste e angustiado. 38 “Minha alma está profundamente triste, a ponto de morrer”, disse ele. “Fiquem aqui e vigiem comigo.” 39 Ele avançou um pouco, curvou-se com o rosto no chão e orou: “Meu Pai! Se for possível, afasta de mim este cálice. Contudo, que seja feita a tua vontade, e não a minha”. 40 Depois, voltou aos discípulos e os encontrou dormindo. “Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora?”, disse ele a Pedro. 41 “Vigiem e orem para que não cedam à tentação, pois o espírito está disposto, mas a carne é fraca.” 42 Então os deixou pela segunda vez e orou: “Meu Pai! Se não for possível afastar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade”. 43 Quando voltou pela segunda vez, encontrou-os dormindo de novo, pois não conseguiam manter os olhos abertos. 44 Foi orar pela terceira vez, dizendo novamente as mesmas coisas.
45 Em seguida, voltou aos discípulos e lhes disse: “Como é que vocês ainda dormem e descansam? Vejam, chegou a hora. O Filho do Homem está para ser entregue nas mãos de pecadores. 46 Levantem-se e vamos. Meu traidor chegou”. [Mateus 26.31-46]

Vamos analisar um pouco o acontecido. Jesus estava no seu momento mais angustiado pré-crucificação. Apesar de todo sofrimento físico a qual ele sabia que enfrentaria, disse sabia que aquela noite todos seus discípulos o abandonariam. Pedro,  – que tinha muito sangue nas veias – já tratou de dizer que ele não abandonaria Jesus sobre hipótese alguma. Acredito na sinceridade de Pedro. Acredito que ele tenha dito isso a Jesus com todo seu coração. Mas Jesus, então, o respondeu dizendo detalhes pra que Pedro se surpreenderia, pois negaria Jesus por 3 vezes antes mesmo do galo cantar. Pedro, veementemente discorda de Jesus e diz que nem que ele tenha que morrer, mas jamais negará a Jesus.

A coragem e autoconfiança de Pedro

Pedro nos lembra dos nossos momentos de autoconfiança a qual achamos que somos fortes o suficientes pra fazermos qualquer coisa. Que podemos tudo. Que tudo damos conta. Sem dúvida Pedro me lembra muitos momentos de mim mesmo. Após Pedro fazer suas afirmações, os outros discípulos concordaram com ele. A verdade é que todos meio que aprendemos que precisamos ser fortes. Fracos é que sentem medo e são limitados, não?

Getsêmani / medo / fraqueza

Depois Jesus foi com seus discípulos pra um lugar chamado Getsêmani. Pediu pra que eles sentasse e esperasse por ele, pois iria se retirar um pouco para orar. Antes, pediu pra Pedro (o forte e corajoso) e os dois filhos de Zebedeu fossem com ele para vigiarem enquanto ele orava. Se afastou um pouco dele, com a cara no chão, orou pra Deus perguntando que se possível o livrasse daquela situação. Jesus, depois, dirá a Pedro e seus outros discípulos que “a carne é fraca”. Jesus ali, era o Deus-encarnado e essa oração de Jesus mostra seu lado humano, que sente medo e é fraco. Sim, Jesus estava com medo e mesmo depois de pedir ao pai que o livrasse, terminou orando pra que a vontade de Deus estivesse acima da sua própria vontade.

E quando voltou junto aos 3 discípulos que pediu para que vigiassem, viu que eles estavam dormindo. Indignado, lhes disse a fala que dá sentido ao nosso título:

40 E quando voltou aos 3 discípulos que estavam viajando, encontrou eles dormindo. Indignado, disse: 41 Então, voltou aos seus discípulos e os encontrou dormindo. “Vocês não puderam vigiar comigo nem por uma hora? “, perguntou ele a Pedro. “Vigiem e orem para que não caiam em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca”. [Mateus 26:40,41]

“Operação Carne Fraca”. Entendemos aqui que a carne é fraca, vamos ver o que é “Operação” no dicionario:

conjunto de atos ou medidas em que se combinam os meios para a obtenção de determinados resultados

Jesus falou para vigiarmos para não cairmos em tentação a nossa carne. Quais atos ou medidas temos que tomar na “Operação Carne Fraca” da nossa vida?

Constatação de Jesus

Jesus diz “Vigiem, para que não caiam em tentação” (v. 41) e ainda termina dizendo “O espírito está pronto, mas a carne é fraca“. Vamos observar que Jesus não disse “a carne está fraca”, mas sim, disse, que ela “é fraca”. Isso é uma contatação, é um fato. Jesus foi afirmativo. Sabe, então, que a carne é fraca é uma questão de auto-conhecimento. É você entender que você – sua carne – é fraca.

Carne vs Espírito

E Jesus não só afirma que nossa carne é fraca como também abre um paralelo dizendo “o espírito está pronto” (v.41).  E repito nos detalhes da afirmação de Jesus, ele diz que espírito ESTÁ pronto e a carne É fraca. O espírito está no estado “Pronto” e a carne é condição de “fraca”. Então,  que Jesus está nos dizendo é “a carne é fraca, é fato. Nós somos assim, porém podemos preparada nosso espírito para que esteja pronto”. E mesmo vendo que seus discípulos já estavam com o espírito pronto ainda os alertou, dizendo “vigiem e orem para que não caiam em tentação” (v.41). Se com o espírito pronto já temos que orar e vigiar, imagina com ele semi-pronto.

Como é esse paralelo entre “carne vs espírito”?  O apóstolo Paulo, nos explica:

Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. [Gálatas 5:17]

Paulo então coloca de um lado a “carne” e do outro lado o “espírito”. E diz que um é contrário ao outro. Estão conflitando o tempo todo. Tem versões inda que diz que elas “brigam o tempo todo”. O fato é que a ação da nossa carne é oposta a ação do nosso espírito.

História: Cachorro Branco vs Cachorro Preto

É como aquela história do pescador que ia ao centro da cidade todo dia com 2 cachorros. Um branco e outro preto. Ele botava os dois pra brigarem e ganhava dinheiro com apostas das pessoas que paravam pra assistir. Ele sempre sabia exatamente qual cachorro ia ganhar a briga. Um dia seus amigos perguntaram pra ele como ele fazia aquilo, como conseguia controlar o cachorro que ganharia. Ele respondeu que era simples, ele alimentava muito bem o cachorro que queria ganhar e deixava passar fome o cachorro que iria perder.

Assim também é na nossa vida. Como lemos há pouco, nossa carne e nosso espírito brigam entre si, são como os cães do pescador. Normalmente vejo pessoas tentando “matar o cachorro-da-carne”, e é aí que nascem as auto-penitências da religião. Meu irmão, a carne é fraca. Isso é um fato! A questão é se alimentamos – ou seja, damos mais força – pro nosso espírito ou nossa carne.

Que bom que a carne é fraca

Paulo foi “o cara”. Começou como um perseguidor do cristianismo e depois foi um dos apóstolos de maior admiração, históricamente. Pelo menos, ele tem a minha admiração, hehe. Mas ali, naquele ponto, Paulo havia ficado cego. Ele chamou isso de “espinho na carne’ e disse que recebeu para que o impedisse que virasse arrogante. Disse que implorou a Deus para que o curasse por 3 vezes, mas Deus lhe respondeu o seguinte:

9 mas ele disse: “Minha graça é tudo de que você precisa. Meu poder opera melhor na fraqueza”. Portanto, agora fico feliz de me orgulhar de minhas fraquezas, para que o poder de Deus opere por meu intermédio. 10 Por isso aceito com prazer fraquezas e insultos, privações, perseguições e aflições que sofro por Cristo. Pois, quando sou fraco, então é que sou forte. [2 Corintios 12.9-10]

Paulo entendeu o privilégio de ser fraco. Pois é quando somos fracos, que descobrimos a força da graça de Deus.  Aos Romanos 7.15, Paulo disse que aquilo que quer fazer não faz, e aquilo que não quer, acaba fazendo. Temos que entender esse fato: a carne é fraca. Mas isso não é um consolo ou uma desculpa, é uma contatação de que precisamos alimentar nosso espírito, para que esteja pronto. Como Jesus disse aos seus discípulos: “vigiem!”.

No amor, Tihh Gonçalves ©


Esse artigo é um rascunho de uma pregação que ministrei dia 01 de abril de 2017, num NEXT (culto) da igreja Estação.


Também publicado em Medium.